Acessibilidade em sites de hospitais facilita marcação de consultas

Quando alguém acessa o site de um hospital, está procurando resolver um problema de saúde através do agendamento de consultas ou procedimentos hospitalares. Mas o que deveria ser uma simples consulta se torna mais uma barreira, pois nem todos os sites estão preparados para aprender pessoas com algum grau de deficiência.

Os mesmos hospitais criados para, dentre outros aspectos, melhorar a condição de vida para quem os procura, não se preocupam em criar sites que facilitem o acesso dos pacientes.

Para Boby Vendramin, Diretor de Marketing e Mídia LATAM da Purple-Lens, há diversas maneiras de tornar um site acessível e todas passam pelo design responsivo para visualização em diferentes dispositivos, como computadores e smartphones por meio de plugins de acessibilidade:

“Os hospitais, que tanto se preocupam em melhorar as pessoas, nem sempre se dão conta que seus pacientes não conseguem usar os sites de maneira correta justamente pela falta de acessibilidade. Criar estas condições é importante para todos os usuários, principalmente para pessoas com algum grau de deficiência que atrapalhe a navegação”.

Quando um site é acessível, significa que ele pode ser usado por pessoas com problemas visuais, auditivos, motores ou cognitivos que acessam esses sites justamente para poderem tratar estes problemas.

“Pessoas com deficiência encontram informações sobre os serviços do hospital, endereço, horários de atendimento, quais são os médicos e as especificidades do hospital, sem sair do site e com todos os acessos liberados. Outra vantagem é que, os pacientes podem, por exemplo, marcar consultas online, que é extremamente útil para pessoas com dificuldade de locomoção ou que não podem falar ao telefone”.

Benefícios em tornar um site acessível
Além da melhora na experiência de usuário, a acessibilidade amplia a reputação do hospital ao mostrar seu comprometimento com inclusão e diversidade:

“Pessoas com deficiência visual conseguem usar um leitor de tela para navegar pelo site e encontrar as informações de que precisam e quem possui deficiência auditiva consegue utilizar recursos para preencher formulários e agendar consultas sem depender de terceiros. Todos os pacientes precisam ter a oportunidade de acessar informações e serviços médicos, independentemente de suas deficiências e principalmente quando o objetivo é a saúde” completa Boby.

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email
Print
Verificando...